Welcome!

Industrial IoT Authors: Liz McMillan, Pat Romanski, Elizabeth White, Jeev Trika, Scott Allen

News Feed Item

Visa lança serviço gerenciado para dispositivos móveis

A Visa Inc. (NYSE:V) anunciou hoje o lançamento de uma nova plataforma plug-and-play de dinheiro móvel que vai tornar mais fácil e econômico para as instituições financeiras e operadoras de celular oferecerem serviços financeiros móveis aos consumidores. A plataforma global é o primeiro serviço mundial de classe bancária gerenciado para dinheiro móvel – sendo que permite à Visa hospedar e gerenciar completamente todos os aspectos de um programa de dinheiro móvel em nome da prestadora, a partir do projeto de interface de usuário à inscrição do consumidor, processamento de operações, autorização, compensação e liquidação. O novo serviço pode permitir uso de serviços interoperáveis de dinheiro móvel nacional ou internacionalmente.

Os consumidores "sem banco" na Índia e em Ruanda são os primeiros a se beneficiarem deste serviço. Os assinantes de celulares Aircel na Índia e os clientes do Bank of Kigali e Urwego Opportunity Bank em Ruanda têm agora acesso a uma conta financeira, que está ligada ao seu número de celular. De operações de entrada e saída de dinheiro em postos de atendimentos ao pagamento de contas, envio de dinheiro para familiares, recarregar o tempo de uso ou comprar bilhetes de trem, os consumidores podem tirar vantagem dos serviços financeiros de classe bancária e qualidade Visa de pagamentos.

"Aplaudimos os pioneiros na África, Ásia e Oriente Médio, que lançaram um circuito fechado de serviços financeiros para celulares e alcançaram tantos consumidores em tão pouco tempo", disse Bill Gajda, diretor de produtos móveis globais da Visa Inc. "Com o aumento da procura, também cresce o custo e a complexidade de manter esses serviços. A nova plataforma de dinheiro móvel da Visa é projetada para permitir que as operadoras de celular e instituições financeiras se concentrem em seu negócios principais, deixando a gestão do seu serviço de dinheiro móvel com a Visa".

A nova plataforma, que está sendo hospedada no centros de dados gerenciados da Visa, foi construída sobre a tecnologia Fundamo, a tecnologia de dinheiro móvel adquirida pela Visa em 2011, que foi implantada com sucesso em mais de 30 países.

"A Aircel orgulha-se em oferecer aos seus assinantes as aplicações mais inovadoras para celulares que atendem às necessidades específicas dos consumidores na Índia", disse Geoff King, chefe de serviços bancários móveis da Aircel. "Através do serviço hospedado e gerenciado da Visa, a Aircel é agora capaz de parcerias com bancos locais para oferecer aos nossos assinantes de celulares acesso a serviços de dinheiro que irão simplificar suas vidas financeiras. Nós começamos nossa parceria com a ICICI para oferecer aos clientes a capacidade de enviar dinheiro em todo o país de forma segura, complementar suas contas pré-pagas de celulares, e pagar suas contas de serviços públicos".

Concebida e adaptada para uso por instituições financeiras e operadoras de celulares

A nova plataforma da Visa foi desenvolvida em conformidade com os quadros regulamentares estabelecidos para serviços financeiros móveis. Ela oferece às operadoras de redes móveis e instituições financeiras uma ligação local à rede Visa de pagamento global, VisaNet, e uma solução única para a prestação de serviços de dinheiro móvel que é baseada em elevados padrões de segurança, confiabilidade e interoperabilidade da Visa. Através da nova plataforma, a Visa pode gerenciar todos os aspectos de um serviço de dinheiro móvel, incluindo:

  • Programa de gestão de dinheiro móvel – a Visa, em nome da operadora de serviços móveis de dinheiro, pode gerenciar a inscrição do cliente e a interface de usuário de carteira móvel, taxas, comissões e impostos, bem como aplicar as ferramentas de gestão de risco, geração de relatórios, e outros serviços "em nome de". Isso reduz os custos de execução e os recursos necessários para implantar serviços de dinheiro móvel.
  • Suporte para qualquer canal de comunicação móvel – Prestadores de serviços de dinheiro móvel podem usar interface padrão da indústria para se conectar à nova plataforma da Visa, e podem enviar as transações de dinheiro móvel em todos os canais móveis, entre eles, serviço suplementar de dados não estruturados (USSD na sigla em inglês), linguagem de marcação de hipertexto extensível (xHTML, na sigla em inglês), e resposta de voz interativa (IVR, na sigla em inglês).
  • Suporte para um conjunto abrangente de transações – A plataforma permite que as transações financeiras, tanto em ambientes de malha fechada e malha aberta, inclusive as operações de entrada e saída de dinheiro em agentes locais e caixas eletrônicos, transferências de dinheiro nacionais e internacionais, pagamentos em estabelecimentos onde Visa é aceito, bem como, pagamentos de contas e recarga do tempo de uso. Ele também suporta transações informais, tais como registro de volume, consulta de saldos, senha e gerenciamento de contas.
  • Suporte ao cliente e conformidade regulamentar – O serviço móvel gerenciado da Visa pode suportar o cumprimento de requisitos regulamentares móveis e financeiros em diferentes países. Além disso, a plataforma pode oferecer recursos abrangentes de suporte ao cliente, que inclui monitoramento e manutenção de conexões com sistemas de hospedagem, recuperação de desastres, gerenciamento de incidentes, bem como fluxos de trabalho de gestão de resposta aos clientes e gestão de contas (AML e KYC).
  • Qualidade Visa de pagamento seguro – A plataforma combina a tecnologia avançada de processamento de risco da Visa com os recursos de segurança e autenticação de dispositivos móveis, permitindo que o prestador de serviços de dinheiro móvel possa oferecer transações financeiras que são baseadas em elevados padrões de transações seguras, confiabilidade e interoperabilidade da Visa.

Enquanto as instituições financeiras e operadoras de redes móveis na Índia e Ruanda são as primeiras a oferecerem serviços financeiros móveis baseados no novo serviço gerenciado da Visa, a plataforma tem a capacidade de hospedar e gerenciar programas em todo o mundo.

Sobre a Visa Inc.

A Visa é uma empresa global de tecnologia de pagamentos que conecta consumidores, empresas, instituições financeiras e governos em mais de 200 países e territórios para pagamentos eletrônicos rápidos, seguros e confiáveis. Operamos em uma das redes de processamento mais avançadas do mundo, a VisaNet, capaz de lidar com mais de 24.000 transações por segundo, com proteção contra fraude para os consumidores e pagamento garantido aos estabelecimentos. A Visa não é um banco e não emite cartões, não aumenta crédito nem estabelece taxas e encargos aos consumidores. Contudo, as inovações da Visa permitem que seus clientes de instituições financeiras ofereçam novas opções aos consumidores: pagar agora com cartão de débito; antecipadamente com cartão pré-pago; ou depois, com produtos de crédito. Para mais informações, visite corporate.visa.com.

Sobre a Aircel

A Aircel é a quinta maior operadora de telefonia móvel GSM com crescimento mais rápido da Índia, e uma operadora de presença na Índia. Ela ganhou espectro 3G em 13 círculos e espectro BWA em oito círculos, e lançou com sucesso serviços 3G em 13 círculos, que é a implementação mais rápida de 3G no espaço da Telecom indiana. A Aircel tem constantemente inovado em produtos e serviços, e é creditada por fazer o 3G acessível às massas através do lançamento da internet de bolso inteligente, que oferece pacotes 3G de baixos valores. A internet inteligente de bolso da Aircel impulsionou a adoção do 3G no país, pois dá um verdadeiro valor ao produto, permitindo aos consumidores acesso ilimitado de dados 3G a preços extremamente acessíveis. A Aircel posicionou-se como uma operadora líder em dados de telecomunicações abordando as multifuncionalidades de um telefone celular em várias maneiras inovadoras que são pioneiras no mercado, sejam elas na internet de bolso da Aircel, jogos de bolso para internet, a primeira rede social móvel INQ da Aircel, saúde móvel Apollo da Aircel, Blyk on Aircel, um compromisso enriquecedor para a juventude e, muito recentemente, a primeira operadora de telecomunicações a introduzir atualizações de voz no Facebook para a Aircel. A Aircel é também uma rede de telecomunicações conhecida por lançar os iPhone 3GS, iPhone 4, iPhone 4S e iPhone 5 da Apple. Para mais informações, visite www.aircel.com.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

More Stories By Business Wire

Copyright © 2009 Business Wire. All rights reserved. Republication or redistribution of Business Wire content is expressly prohibited without the prior written consent of Business Wire. Business Wire shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

@ThingsExpo Stories
IoT is rapidly changing the way enterprises are using data to improve business decision-making. In order to derive business value, organizations must unlock insights from the data gathered and then act on these. In their session at @ThingsExpo, Eric Hoffman, Vice President at EastBanc Technologies, and Peter Shashkin, Head of Development Department at EastBanc Technologies, discussed how one organization leveraged IoT, cloud technology and data analysis to improve customer experiences and effi...
The Internet of Things will challenge the status quo of how IT and development organizations operate. Or will it? Certainly the fog layer of IoT requires special insights about data ontology, security and transactional integrity. But the developmental challenges are the same: People, Process and Platform and how we integrate our thinking to solve complicated problems. In his session at 19th Cloud Expo, Craig Sproule, CEO of Metavine, will demonstrate how to move beyond today's coding paradigm ...
Internet of @ThingsExpo, taking place November 1-3, 2016, at the Santa Clara Convention Center in Santa Clara, CA, is co-located with the 19th International Cloud Expo and will feature technical sessions from a rock star conference faculty and the leading industry players in the world and ThingsExpo Silicon Valley Call for Papers is now open.
Big Data engines are powering a lot of service businesses right now. Data is collected from users from wearable technologies, web behaviors, purchase behavior as well as several arbitrary data points we’d never think of. The demand for faster and bigger engines to crunch and serve up the data to services is growing exponentially. You see a LOT of correlation between “Cloud” and “Big Data” but on Big Data and “Hybrid,” where hybrid hosting is the sanest approach to the Big Data Infrastructure pro...
"My role is working with customers, helping them go through this digital transformation. I spend a lot of time talking to banks, big industries, manufacturers working through how they are integrating and transforming their IT platforms and moving them forward," explained William Morrish, General Manager Product Sales at Interoute, in this SYS-CON.tv interview at 18th Cloud Expo, held June 7-9, 2016, at the Javits Center in New York City, NY.
A critical component of any IoT project is what to do with all the data being generated. This data needs to be captured, processed, structured, and stored in a way to facilitate different kinds of queries. Traditional data warehouse and analytical systems are mature technologies that can be used to handle certain kinds of queries, but they are not always well suited to many problems, particularly when there is a need for real-time insights.
With 15% of enterprises adopting a hybrid IT strategy, you need to set a plan to integrate hybrid cloud throughout your infrastructure. In his session at 18th Cloud Expo, Steven Dreher, Director of Solutions Architecture at Green House Data, discussed how to plan for shifting resource requirements, overcome challenges, and implement hybrid IT alongside your existing data center assets. Highlights included anticipating workload, cost and resource calculations, integrating services on both sides...
"We are a well-established player in the application life cycle management market and we also have a very strong version control product," stated Flint Brenton, CEO of CollabNet,, in this SYS-CON.tv interview at 18th Cloud Expo, held June 7-9, 2016, at the Javits Center in New York City, NY.
Unless your company can spend a lot of money on new technology, re-engineering your environment and hiring a comprehensive cybersecurity team, you will most likely move to the cloud or seek external service partnerships. In his session at 18th Cloud Expo, Darren Guccione, CEO of Keeper Security, revealed what you need to know when it comes to encryption in the cloud.
We're entering the post-smartphone era, where wearable gadgets from watches and fitness bands to glasses and health aids will power the next technological revolution. With mass adoption of wearable devices comes a new data ecosystem that must be protected. Wearables open new pathways that facilitate the tracking, sharing and storing of consumers’ personal health, location and daily activity data. Consumers have some idea of the data these devices capture, but most don’t realize how revealing and...
What are the successful IoT innovations from emerging markets? What are the unique challenges and opportunities from these markets? How did the constraints in connectivity among others lead to groundbreaking insights? In her session at @ThingsExpo, Carmen Feliciano, a Principal at AMDG, will answer all these questions and share how you can apply IoT best practices and frameworks from the emerging markets to your own business.
Ask someone to architect an Internet of Things (IoT) solution and you are guaranteed to see a reference to the cloud. This would lead you to believe that IoT requires the cloud to exist. However, there are many IoT use cases where the cloud is not feasible or desirable. In his session at @ThingsExpo, Dave McCarthy, Director of Products at Bsquare Corporation, will discuss the strategies that exist to extend intelligence directly to IoT devices and sensors, freeing them from the constraints of ...
You think you know what’s in your data. But do you? Most organizations are now aware of the business intelligence represented by their data. Data science stands to take this to a level you never thought of – literally. The techniques of data science, when used with the capabilities of Big Data technologies, can make connections you had not yet imagined, helping you discover new insights and ask new questions of your data. In his session at @ThingsExpo, Sarbjit Sarkaria, data science team lead ...
Extracting business value from Internet of Things (IoT) data doesn’t happen overnight. There are several requirements that must be satisfied, including IoT device enablement, data analysis, real-time detection of complex events and automated orchestration of actions. Unfortunately, too many companies fall short in achieving their business goals by implementing incomplete solutions or not focusing on tangible use cases. In his general session at @ThingsExpo, Dave McCarthy, Director of Products...
Traditional IT, great for stable systems of record, is struggling to cope with newer, agile systems of engagement requirements coming straight from the business. In his session at 18th Cloud Expo, William Morrish, General Manager of Product Sales at Interoute, outlined ways of exploiting new architectures to enable both systems and building them to support your existing platforms, with an eye for the future. Technologies such as Docker and the hyper-convergence of computing, networking and sto...
WebRTC is bringing significant change to the communications landscape that will bridge the worlds of web and telephony, making the Internet the new standard for communications. Cloud9 took the road less traveled and used WebRTC to create a downloadable enterprise-grade communications platform that is changing the communication dynamic in the financial sector. In his session at @ThingsExpo, Leo Papadopoulos, CTO of Cloud9, discussed the importance of WebRTC and how it enables companies to focus...
With an estimated 50 billion devices connected to the Internet by 2020, several industries will begin to expand their capabilities for retaining end point data at the edge to better utilize the range of data types and sheer volume of M2M data generated by the Internet of Things. In his session at @ThingsExpo, Don DeLoach, CEO and President of Infobright, discussed the infrastructures businesses will need to implement to handle this explosion of data by providing specific use cases for filterin...
IoT generates lots of temporal data. But how do you unlock its value? You need to discover patterns that are repeatable in vast quantities of data, understand their meaning, and implement scalable monitoring across multiple data streams in order to monetize the discoveries and insights. Motif discovery and deep learning platforms are emerging to visualize sensor data, to search for patterns and to build application that can monitor real time streams efficiently. In his session at @ThingsExpo, ...
Early adopters of IoT viewed it mainly as a different term for machine-to-machine connectivity or M2M. This is understandable since a prerequisite for any IoT solution is the ability to collect and aggregate device data, which is most often presented in a dashboard. The problem is that viewing data in a dashboard requires a human to interpret the results and take manual action, which doesn’t scale to the needs of IoT.
Internet of @ThingsExpo has announced today that Chris Matthieu has been named tech chair of Internet of @ThingsExpo 2016 Silicon Valley. The 6thInternet of @ThingsExpo will take place on November 1–3, 2016, at the Santa Clara Convention Center in Santa Clara, CA.